domingo, setembro 10, 2006

Quase cinco anos depois...

"Na rua, o cenário que as duas mulheres encontraram era inimaginável. "Fiquei em choque completo. Só me lembro de ver homens a chorar histericamente; pessoas cobertas de sangue, tudo a correr para todos os lados. Havia sirenes e polícias e bombeiros por todo o lado. Olhei para cima e vi as duas torres a arder. E pessoas a saltar, umas atrás das outras. Meu Deus, nunca vi nada mais horrível", diz Joyce."

(in Público)

3 comentários:

miguelinho disse...

Será que daqui a cinco anos o ocidente ainda se lembrará e também irá prestar homenagem as vitimas dos bombardeamentos israelitas?!...
Será que daqui a cinco anos também iremos ter versões "hollywoodescas" onde se procura glorificar essas mesmas vitimas ?!...

Nuno Guronsan disse...

Será que podemos destinguir níveis de vítimas, como se fossem castas? Será que as vítimas do 11 de Setembro são mais importantes que as dos bombardeamentos israelitas ou dos bombardeamentos em Madrid, Londres ou Java? Todos estes atentados são condenáveis, mais não seja pela perda estúpida de vidas que nada tinham a ver com intrigas de bastiadores. E porque é que não se há-de glorificar as vítimas? Afinal de contas, não pediram para ser vítimas e se lutaram pela sobrevivência nas circunstâncias em que lutaram, numa altura em que apenas pensaram naqueles que amavam e que iam deixar sozinhos caso baixassem os braços, porque não contar as suas histórias? Só porque são americanos?

inBluesY disse...

é...
ainda hoje tudo parece um filme...