terça-feira, setembro 12, 2006

Nunca é tarde...

... para se ter mais um afilhado(a) que não quer saber de Nintendos ou Playstations mas sim de um caderno escolar onde possa aprender a escrever ou de uma vacina contra a epidemia de cólera que atravessa o seu país ou simplesmente um copo de água potável.

"Creio que não haverá muitas pessoas que não tenham visto, pelo menos uma vez na vida, a fotografia de uma criança africana com os olhos e o corpo marcados pela fome. Infelizmente, a realidade prolonga-se para além do impacto das imagens utilizadas frequentemente pelos nossos meios de comunicação social de forma ocasional e descontextualizada e deixadas cair no esquecimento, pouco depois.
Sabe-se que o índice de mortalidade infantil nos países africanos é sempre muito alto e no caso da Zâmbia esse valor situa-se nos 10%: isto é, calcula-se que entre 100 crianças que nascem, 10 não chegarão a atingir os 5 anos de vida. Os dados são fornecidos geralmente pelas clínicas do Ministério da Saúde, que possuem um registo das crianças nascidas nas instalações sanitárias locais e dos casos de mortalidade que se verificam, e podem ser ainda comprovados pela experiência quotidiana de quem se encontra a operar no território. (...)"

Para ti, Miguel, onde quer que te encontres.

(CCS Portugal - Centro para a Cooperação e Desenvolvimento)

5 comentários:

Polly Jean disse...

Aqui faz mesmo sentido falar de espaço cinzento...o limbo dos que não têm. Não imaginas como mãe, desde sobretudo que sou mãe o quanto isto me aflige...o quanto penso nisto por cada vez que ajeito o lençol bem lavado da cama imaculada no quarto decorado, com amor de mãe ( e de pai), do meu filho. A vida às vezes perde o sentido..precisamente quando olhamos o retrato dessas crianças.
Beijos

antimater disse...

De uma das vezes que queria regressar de Angola para Portugal houve um dia que não era possível fazê-lo.
O aeroporto no dia em causa estava encerrado ao tráfego habitual.
Apenas aterravam os convidados para o casamento de uma filha do José Eduardo dos Santos...

Como dizem os ingleses: «the first things first!»

Navel disse...

Olá!
Que engraçado, mais uma coisa que temos em comum.:) Eu sou "madrinha" de uma linda menina moçambicana desde Abril. E já consegui convencer outras pessoas a juntarem-se a esta causa. Agora quero ver se consigo convencer a minha empresa a apadrinhar uma turma.
Confesso que ajudá-la - a ela ou outros meninos - me faz melhor a mim que a eles mesmos. Naqueles momentos sinto-me útil como poucas vezes nos últimos tempos... :)

A disse...

Um beijinho muito grande para ti Nuno... bem hajas.

:)

As cores da vida disse...

Ora ainda bem que há gente que pensa assim...! :-)*