quarta-feira, setembro 27, 2006

A minha cidade é um estaleiro

Ou uma pseudo-reportagem fotográfica das obras decorrente do Programa Polis no Cacém, tiradas em meados do mês de Agosto de 2006, indo assim ao encontro das preocupações de vários habitantes desta terra, incluíndo o meu bom amigo Suburbano. Tenho de admitir que, até ver, as obras a mim pouco me afectam, tirando as habituais confusões para tentar sair e entrar do Cacém. E começamos com uma zona em obras que nada têm a ver com o Polis, no Largo da República. Este local que já foi "morada" de um mercado, interior e exterior (o exterior era daqueles que agora recebem umas visitas "amigáveis" da ASAE), de várias Feiras do Cacém (era em Maio, certo?) com direito a carrinhos de choque e farturas e algodão-doce, e até como estacionamento das viaturas dos Bombeiros Voluntários. De acordo com uma notícia de Janeiro deste ano (segundo o Google não há nada de mais recente sobre estas obras!), parece que vamos ter neste espaço "a feira semanal" (mais artigos de "marca", portanto) e "um espaço de estadia e lazer, com uma fonte, cafetaria com esplanada e árvores" (porque o que o Cacém precisa é de mais cafés, coisa que até havia antes neste espaço, se bem que com um ar de fugir a sete pés...). A ver vamos o que vai sair daqui...


Depois temos as obras junto à passagem de nível, agora fechada. Ainda não tinha experimentado a passagem pedonal sobre a linha do comboio antes de tirar estas fotografias. Fica-se, de facto, com uma visão melhor da quantidade de buracos que têm sido abertos por aqui. Esta zona abrangida pelo Polis será, de acordo com o site, a zona de um túnel de modo a ligar a Nova Baixa ao Núcleo Histórico de Agualva. Estes conceitos deixam-me um bocado de azia, mas há que ter esperança no futuro, especialmente no que toca ao Núcleo Histórico, onde quer que ele ande.


Não, a próxima foto não é de nenhum bombardeamento no Médio Oriente, mas quase que podia ser. É apenas o entulho decorrente de mais um prédio demolido que irá dar lugar a obras de renovação na estação de comboios de Agualva-Cacém, que passará a ser a Estação e Interface Rodoferroviário da mesma. Será que também vamos ter direito a uma passadeira andante ao estilo de Entre-Campos? Isso sim, é que era um sinal de progresso...

Esta é uma análise simplista, como é óbvio, uma vez que nem sequer tirei fotos às zonas mais importantes que estão sujeitas ao Polis. O meu único desejo é que as obras sejam feitas de modo correcto e, se for possível, dentro dos prazos, pois pior que uma cidade com prédios a perder de vista só mesmo uma cidade com prédios e crateras brutais a perder de vista. And the clock keeps ticking... (agora já vai 460 dias, 3 horas, 23 minutos, e 43 segundos... ooppss... 42 segundos...enfim, percebem, não é?)

1 comentário:

Canochinha disse...

Ontem passei pelo Largo da República e pensei "Quando começar a chover isto vai ficar bem bonito, vai."
E acrescento ainda as obras do gás (acho eu) na Rua do Agualva Shopping e numa parte da Avenida dos Bons Amigos, onde está tudo esburacado!
Espero que isto acabe o mais depressa possível...