domingo, novembro 27, 2005

Recordar as Filipinas - III

(Crónica escrita em Maio de 2000, durante uma viagem às Filipinas, terceiro e último capítulo das memórias que consegui captar em escrita.)

Depois de um pequeno intervalo (motivado por uma passagem por terras portugas), eis que aqui vos deixo os últimos episódios da passagem pelas Filipinas...Se bem se lembram, aguardava-se a chegada de uma pessoa muito importante, e eis que ela chega a Manila: nada mais nada menos que Miss Leonora Valério, PC3 em Hong-Kong!!! Finalmente, conseguimos estabelecer a verdadeira reunião PC3 Asiática!!! E se pensam que demos descanso à moça, nem pensem nisso...foi logo tudo para a night, fazendo-a passar pelo mesmo processo pelo qual os coreanos já tinham passado...aqui não há descanso para ninguém!!!

Enfim, no dia seguinte, e ainda ressentindo-se bastante da noite anterior, eu, a Leo e o Miguel, pomo-nos a caminho da parte mais antiga de Manila, denominada de Intramuros. Trata-se de uma pequena cidade dentro da cidade, onde todos os edifícios revelam a forte presença espanhola...De facto, esta zona tem pouco a ver com o resto de Manila, e não admira que seja muito procurada pelos turistas...Nós aproveitámos para visitar a Catedral de Manila, a Igreja/Museu de Saint Agustin (da qual vos deixo aí uma foto) e o Forte de Santiago, local onde o herói nacional das Filipinas, Jose Rizal, foi executado, não sem antes ter escrito um último poema que é hoje considerado como ilustrativo do povo filipino...

Depois de uma longa caminhada por Intramuros, decidimos em seguida dar uma voltinha pelo Bairro Chinês de Manila...Vemos uma série de lojas que, de facto, parecem apenas ter cenas chinesas mas, segundo a Leo, aquilo é apenas para turista ver...É um pouco como os restaurantes chineses, que são todos diferentes uns dos outros, em qualquer parte do mundo, ou seja, os restaurantes chineses em Portugal não têm nada a ver com os restaurantes chineses na Coreia, que por sua vez não têm nada a ver com os restaurantes chineses na China...Mesmo assim, Miguel Guron-san ainda se abastece de uns quantos charutos filipinos, mas, mais importante do que isso, descobrimos que o Salazar afinal está vivo, não caiu de cadeira nenhuma, e é dono de uma padaria em Manila (se não acreditam, confirmem na foto que vem aqui em baixo...)!!! Aliás, acho que vi lá dentro o Elvis a comer uma empada...

Á noite....muitos copos e muita disco....isto é do melhor...

No dia seguinte, não há muito para contar, pois a ressaca domina durante quase todo o dia...Tirando o facto de ter visto um polícia com uma caçadeira de canos cerrados dentro de um café Starbucks (Makati é a zona mais importante, em termos empresariais, de Manila e por isso não admira todo o aparato policial-militar que a rodeia...), nada de especial se passa, mas ao menos já temos um destino marcado para Sábado, penúltimo dia de estadia: vamos até ao vulcão Taal!!! Para acabar em beleza...

Assim, lá nos metemos à estrada para o dito vulcão...apanhamos alguma chuva, parece que a época das monções está a começar, por estes lados...Depois de uma viagem de autocarro, e mais uns quantos jeepneys (no final da crónica encontra-se uma fotografia destes estranhos veículos, se bem que este não possui as típicas frases que ostentam estilo IN GOD WE TRUST, ou, GOD LEADS OUR WAY, ou ainda WE LOVE GOD....não sei se já se aperceberam, mas os filipinos são de um fanatismo religioso levado ao extremo...), eis que chegamos à beira do lago Taal...Este enorme lago foi, em tempos um enorme vulcão, mas agora está inteiramente inactivo, mas no seu centro encontram-se algumas ilhas, e no meio de uma delas ainda está um pequeno vulcão que ainda se encontra um bocadinho activo...Depois de uma viagem de barco que dura uns 45 minutos, eis que chegamos à ilha do pequeno vulcão, e toca de caminhar até lá acima...Não sei quanto tempo durou a caminhada, só sei que a vista que se proporcionava do topo era lindíssima e mais uma vez tinha valido a pena o esforço...Eu e o Miguel encontramos umas dezenas de turistas coreanos com os quais conversamos um bocadinho...eh eh eh...quem diria...Deixo-vos aí uma foto (montada) do vulcão no interior da ilha, e dos quatro asiáticos à beira do mesmo vulcão...

De regresso ao sopé da montanha, e devidamente cansados como se impõe, lá apanhámos de novo o barco para atravessar o lago, mas desta vez parámos bem no meio para dar uma banhoca...Mas????....O qué isto??? Isto não é água, é sopa!!! Eu já tinha ouvido falar das águas tropicais, mas isto é ridículo!!! Basta dizer que depois da banhoca, regressei ao barco a suar!!! Parece que o vulcão está inactivo mas ainda dá para aquecer as aguás como deve de ser...Chegamos à outra margem, e somos de imediato atraídos por um enorme basqueiro que vem de uma casa ali perto...O Jorge diz logo que se trata de uma prova do desporto preferido dos filipinos: luta de galos!!! Depois de estarmos de roda da entrada uma série de tempo e de termos regateado o preço não sei quantas vezes, lá nos deixam entrar...O "espectáculo" é um tanto ou quanto violento, pois apesar de um dos galos estar mais para lá do que para cá, a luta prolonga-se por uns intermináveis 10 minutos...Mas o melhor (ou o pior, consoante o ponto de vista) vem depois, no final da luta; levam-nos aos quatro aos bastiadores, ou melhor, à enfermaria dos pobres galos, e não é que estão a cosê-los como se fosse uma operação normal??? Ficamos na dúvida se seria melhor deixá-los morrer ou fechar todos aqueles buracos, ali a frio??? Impressionante....

De volta a Manila, ainda temos tempo para uma última despedida da excelente nightlife desta cidade...E esta foi mesmo para arrasar...Lembro-me de subir para cima de uma das cadeiras (derrubando não sei quantas garrafas de cerveja da mesa adjacente, durante o processo) e dançar ao som desse grande hino do disco-sound que é o YMCA (colegas iscterianos, não se preocupem que os filipinos ficaram instruídos com a nossa coreografia que este vosso criado executou vezes sem conta....)!!! A noite acabou de uma maneira muito feliz entre os contactos, todos agarrados no meio da pista a dançar, num ambiente muito Peace & Love...Aliás, como já constatei numa outra experiência, sempre que os PC3 de diferentes países se juntam é sempre uma festa...

No dia seguinte, além da respectiva dor de cabeça, foi altura das despedidas, muitos beijinhos e abraços, eu e o Miguel quase íamos perdendo o avião, primeiro devido ao trânsito infernal de Manila, e depois devido ao tipo incompetente que estava no balcão do check-in, mas lá conseguimos apanhar o bendito avião, exactamente na altura que começava a cair uma tempestade tropical....Assim terminaram 10 dias impecáveis, que tão cedo não vou esquecer...

Queria só deixar uma palavra de apreço ao Miguel, ao Jorge e à Leo pelas bonitas fotografias que forneceram para todas as crónicas...E já agora digo-lhes que adorei esses dias que passámos juntos...Havia, se calhar, mais coisas para contar, mas também não quero estar a encher continuamente as vossas caixas de correio...E pode ser que alguém que lá esteve queira acrescentar mais alguma coisa...Pela minha parte por aqui me fico, e em breve espero escrever mais Korea Files, isto se o vosso feedback continuar a ser como tem sido até aqui...

Beijufas e abracetes (HSequeira copyright ®)
Nuno Guron-san

2 comentários:

Miguel Faria disse...

Grande crónica!!

Temos de repetir isto um dia destes!

Abraço,
Miguel Guron-San

Nuno Guronsan disse...

Amigo, é quando quiseres... Eu até nem me importo de regressar às Filipinas ;-)