terça-feira, novembro 29, 2005

Apontar é feio

A imagem é do Público e refere-se uma discussão entre um palestiniano e um soldado israelita, mas deixei de próposito só as suas mãos. Podiam ser as mãos de um norte-americano e de um iraquiano. Podiam ser as mãos de um indiano e de um paquistanês. Podiam ser as mãos de um adepto do Benfica e de um adepto do Sporting. Podiam ser as mãos de um basco e de um castelhano. Podiam ser as mãos de um tibetano e de um chinês. Podiam ser as mãos de um checheno e de um russo. Podiam ser as mãos de uma japonês e de um coreano. Podiam ser as mãos de Bush e de Hussein. Podiam ser as mãos de Cavaco e de Soares. Até poderiam ser as minhas mãos e as do meu pai quando ambos acordamos do lado errado da cama...

3 comentários:

José Raposo disse...

Bom diálogo de mãos e muito bem apanhado pelo meu amigo... Dás muitos bons exemplos alguns inócuos outros nem por isso.. Bom seria que a maioria dos exemplos que indicas sejam exemplos em que as mãos não foram suficientes...

o anónimo do costume disse...

Inspirado...

Nuno Guronsan disse...

Bem estaríamos nós se alguns dos exemplos que me ocorreram se ficassem apenas pelos dedos apontados... De certeza que tantos inocentes não teriam já desaparecido...