quinta-feira, março 01, 2007

R.I.P.


Foi um grande guarda-redes. Não sei se terá sido o melhor de sempre português, mas que foi um dos que mais me impressionou a defender as redes do Benfica, a par do enorme Michel Preud'homme, isso sem dúvida. Nunca o conheci, mas sempre me pareceu alguém avesso ao protagonismo fácil. De certa maneira, lembra-me outro futebol, outros tempos. Tempos em que se falava mais das qualidades e exibições dos jogadores e menos dos seus salários. Ainda há bocado, ao ver as imagens da meia-final no França 84, senti uma saudade eterna dos tempos em que era pequeno e ia para a baliza da minha equipa na primária e dizia sempre que era o Bento. Paz à sua alma.

4 comentários:

sea disse...

lembrar-me desse Sr., é recuar até à minha infância e até à altura em que tomei consciência que era benfiquista.
A recordar. Como tantas outras figuras.
Pode não ter sido o melhor mas, foi o melhor do seu tempo.

bjo

o anónimo do costume disse...

Se foi ou não o melhor, o que interessa? Foi uma figura ímpar, que fica nas nossas boas memórias do futebol português. No meu modo de ser sportinguista cresci aprendendo a gostar do Porto vintage de 87 e a admirar homens como Bento. Para mim é isso o futebol.

Stephen King disse...

Uma instituição.
Toda a gente sabia quem era o Bento.

Isso diz tudo.

Abraço.

Nuno Guronsan disse...

É bom ver que não sou o único que vai sentir saudades deste homem que por acaso também era guarda-redes. Para mim será difícil esquecer os duelos que ele mantinha com um outro grande guarda-redes, também ele já falecido, o grande Damas. De certa forma, sempre pensei que poderiam ser irmãos, tal era similar a forma como ambos encaravam o seu protagonismo. Com uma simplicidade de espírito invejável, diria eu.