quinta-feira, dezembro 31, 2009

Rufino & Filhos

"O desconcerto do mundo começa pelo que vai ficando por consertar.
Uma torneira que pinga, uma porta que descai, uma gaveta que empena.
Há os desconcertos tranquilos, com os quais podemos conviver meses inteiros sem perder horas de sono, e há os outros, mais agudos, que nos desarrumam as ideias e contribuem devagarinho para o nosso desconcerto interior, o mais terrível de todos, para o qual não há parafusos, arrebites, bananas ou batoques que nos valham.
O problema é que manter o mundo a funcionar dá trabalho.
O problema é que manter o mundo num brinquinho é só para alguns.
Consertar o mundo implica o domínio de certas técnicas e palavras que, aos poucos, desconfiamos nós, estão a cair no esquecimento.
É aqui que entramos em pânico e nos pomos a pensar: e se, de repente, desaparecerem os Akis e os Izzis deste mundo, aqueles onde se vendem as soluções já prontas, a massa A misturada com o preparado B?
E se de repente o único jeitoso que conhecemos deixar de nos valer?
Quem fará disparar o autocolismo avariado? Quem será capaz de travar mesas bambas ou destravar gavetas empenadas? Quem?
Digam-nos, quem?

(...)

Quando vos disserem que a solução para os problemas do mundo está nas mãos de Ban Ki-Moon ou de Barak Obama, sorriam... mas não acreditem.
A solução para os problemas do mundo está, sim, nas vossas humildes mas jeitosas mãos. Porque, se cada um cuidar da sua torneira, da sua pia, da sua porta, o mundo será certamente um lugar melhor.

Em 2010, não vale deitar fora, o que está a dar é consertar."



e podemos começar já daqui a bocadinho... feliz 2010 para todos.

5 comentários:

cal...formerly known as calamity disse...

Gostei. :) eu nunca deito nada fora, sou, como Ele dizia, «sucateirinha»...por razões da razão ou do coração, guardo sempre tudo, como um castor.
Beijos meu Antiácido.
E é mesmo isso, com as nossas mãos.

Nuno Guronsan disse...

Eu também guardo parafusos, pregos e porcas... todas necessárias a manter as válvulas do coração a funcionar a todo o vapor.
Será que está na altura de as limpar?
Beijos, minha querida.

Felicidade disse...

O maior desconcerto que pode existir é aquele que por vezes existe dentro de nós próprios, seja por nossa culpa, ou culpa alheia, e aí não há parafusos, arrebites, bananas ou batoques que nos valham.... possivelmente só mesmo o tempo, ou não...ou então com ajuda de hallibut com aroma a Alloé Vera, que está na moda:))
Que não fiquemos "parados", que deitemos fora o que não faz falta....e.....que 2010 seja bom meu lindo:)
Um beijo sempre especial

Suki disse...

Eu também ando a consertar, já deitei fora muita coisa... Consertos para 2010 é o que desejo a todos!!! (e já agora bons concertos...)

Yara Kono disse...

Mãos a obra! x