quinta-feira, dezembro 14, 2006

A minha tentação

E assim chegou a minha primeira prenda de Natal. As minhas visitas lembraram-se de mim e trouxeram-me um pedacinho da minha infância, que há muitos anos não provava. Graças a este pequeno doce, fiquei imortalizado no meu seio familiar através de uma lenda (ou mito urbano, o que preferirem). Consta que quando eu tinha meia dúzia de anos vividos e chegava o Natal e as mesas familiares ficavam decoradas com doces vários durante todo o período natalício, independentemente da casa onde eu estivesse, que eu, a meio da noite, me levantava qual sonâmbulo e percorria a casa em direcção à mesa e me deliciava com estes doces divinos. Se eu me lembro? Da parte sonâmbula tenho dúvidas, acho que é mesmo uma lenda familiar, que irá por certo passar de geração em geração, tal como o amor do meu primo pelas batatas fritas da minha mãe. Mas os confeitos... Esses nunca os esqueci, e foi bom reencontrá-los depois de tantos anos...

8 comentários:

A disse...

Marotito....


Gostas pouco gostas!


:)

(que doces são esses afinal?)
(têm bom aspecto)
(sim, já sabes que sou um bom garfo)


(beijos mil)

cristal disse...

bem,... que aspecto apetitoso... o que é que o açucar esconde?

inBluesY disse...

é mesmo esse o espirito que gosto do Natal, que quando bem conduzido fica assim de ano para ano.

adorei Nuno a tua lenda familiar :)

Micas disse...

Olha...isto é o que eu chamo uma verdadeira prenda de natal. e não fostes só tu que recebeste, eu também (por tabela), já que não via confeitos desde a minha infãncia...obrigada por mos trazeres, ainda que virtuais, trouxeram à memória momentos bons com familiares que já cá não andam e até lhes consegui sentir o sabor ;) Grata por este momento tão doce e bonito.
Beijo e bom fim de semana :)

Sea disse...

:D
eu acho que mesmo a dormir, não se esquece o quee stá ali mesmo ao lado :D
beijo

Nuno Guronsan disse...

Eu confesso, esta altura para mim é uma autêntica tortura, pois fico guloso para lá dos limites do razoável. E durante o resto do ano até me controlo bem, mas chegam os pais natais de chocolate e pronto...

E isto é apenas açucar, baunilha e um fruto seco no interior (amendôa, amendoim, avelã...). Mas na infância era o supra-sumo dos doces e agora, depois de muitos anos sem lhes colocar a vista em cima, parece que voltei atrás no tempo...

Quanto à lenda familiar, há muito primo e tio que jura a pés juntos que é mesmo verdade. Eu digo que sim e continuo a atacar os confeitos :)

Beijos natalícios a todas as gulosas ;)

laranjeiro disse...

que saudades de ver esse doce,
relembrou-me a minha juventude
abraço de sao paulo

Anónimo disse...

Esse doce traz-me lembranças péssimas, grandes enjoadelas de tanto açúcar, além disso os que comia tinham uma especiaria no final (talvez anis, odeio anis) que lixava tudo. Obrigadinho!! LOL