domingo, janeiro 21, 2007

Pelo Sim... com reflexão.

Não sei qual a posição do padre Anselmo Borges em relação ao referendo. O que sei é que o seu artigo é provavelmente o escrito mais sensato que li até agora e no qual mais me revi. Recomendo vivamente, e deixo aqui duas transcrições que fundamentam basicamente a minha intenção de voto.

"O aborto é objectivamente um mal moral grave. Aliás, ninguém é a favor do aborto em si, pois é sempre um drama."

"A vida é um bem fundamental, mas não é um bem absoluto e incondicionado. Se o fosse, como justificar, por exemplo, o martírio voluntário e a morte em legítima defesa?"

8 comentários:

José Raposo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
José Raposo disse...

Muito bom, especialmente vindo de um religioso. Pode não se concordar, mas deve respeitar-se e ser-se sensato e equilibrado

doceKin disse...

O artigo está mto bom, mas será q para além de nós alguém q realmente possa mudar alguma coisa o irá ler?
É q tudo aquilo é acertado, mas a nível de governo, alguém já falou em apoio psicológico, pré e pós aborto? E fala-se de educação sexual, isso é coisa q ñ era agora q devia começar a ser feita, era alguns anos antes para q agora, sendo despenalizado o aborto, ñ haja quem o faça levianamente.

Just a thought...

Micas disse...

Gostei de ler este artigo, e é realmente como eu penso também, aliás acho que até foi aqui neste espaço que deixei um comentário com a minha opinião sobre o assunto. É ridicula a hipocrisia que existe. Soube hoje que os portugueses no estrangeiro estão excluídos de votar??? Será porque a maioria vive em países onde o aborto já foi despenalizado há "n" tempo que nós não temos voto na matéria???? enfim...
Beijos e boa semana

Patrícia disse...

Nem imaginas a quantidade de vezes que já disse "Mas eu NÃO SOU a favor do aborto!!!"...


:(


Quando só se ouve o que se quer ouvir...


Beijinhos, Nuno

Sea disse...

Sensato, de facto.
Julgo que ninguém no seu perfeito juizo, é a favor do aborto. O meu sim, é a favor da sua despenalização. Isso sim, vergonhoso.

beijo

Nuno Várzea disse...

Não achas….. ( sobre o aborto).

Não achas que é um assunto delicado sim, mas de estado?
Não achas que há valores que são de delicada discussão pública?
Não achas que é injusto prender alguém por que fez um aborto ou ajudou a fazer?
Não achas que as mulheres não devem tamanha responsabilidade sozinhas?
Não achas que as campanhas pró sim e pró não são demagógicas e se afastam do essencial?
Não achas que o estado antes de fazer o que seja numa lei destas deveria criar condições para que o planeamento familiar, educação sexual, preservativos de borla, orfanatos de qualidade, políticas de adopção mais correctas e adaptadas às crianças entre outras tantas medidas?
Não achas que é triste quando se sabe que alguém fez um aborto?
Achas mesmo que as mulheres são donas da sua barriga?
Não achas que o mundo hoje é demasiado egoísta e menos capaz de inovar nos costumes, preferindo sempre a ruptura?
Não achas que este referendo é demagogia política?
Não achas que é chato que as mulheres tenham filhos de homens de quem não gostam?
Não achas que é chato Homens terem ou não filhos sem saberem?
Não achas que é triste não se considerar um embrião uma vida?
Não achas que é optimismo considerar-se um embrião uma vida?
Não achas que se o aborto for liberalizado há toda uma indústria que nasce e promove a economia? Aliás a Espanha está economicamente à frente devido a…
Não achas que faz sentido fazer um esforço para se ter um filho?
Não achas que esta é uma questão de estado e não da consciência de cada um?
Não achas que o estado não tem nada a ver com as barrigas das mulheres?
Não achas que o estado nada tem a ver se homens e mulheres “fazem truca truca” sem responsabilidade?
Não achas que a igreja deveria apenas ser limitada ao plano moral da questão?
Não achas que a moral entra nas vidas das pessoas e que há algumas sem moral?
Não achas que se deveria liberalizar o suicídio, eutanásia, utilização da placenta, etc..
Não achas que se deveria dar ao homem o direito de interromper a gravidez na barriga da mulher ou namorada, seja ela portuguesa, argentina ou brasileira?
Não achas que as mulheres ou casais que recorreram ao aborto em Portugal, sendo muitas, são manifestamente poucas comparando com as mulheres e/ou casais que sofrem de falta de …amor e carinho?
Que pensas do casamento entre gays e lésbicas? Um gay com uma lésbica, para ser mais específico.
Não achas que os sucessivos governos têm sabido fugir aos problemas, não resolvendo as questões de fundo?
Não achas que toda a questão afecta ao aborto, despenalização, liberalização, faz não faz, nossos impostos ou impostos dos europeus, é uma questão que merece ser discutida sem demagogia?
Não achas que os defensores do não quando vão de férias a França deveriam tratar os franceses como assassinos?
Não achas que os defensores do sim, parte deles, ao não haver esta lei, já tinham sido aspirados antes da nascença?
Não achas também que tens falado muito nisto e feito pouco?

A mim perguntam-me muito qual o meu voto dia 11, mas ninguém ainda me perguntou o que penso sobre o assunto, sobre o que defendo para a nossa sociedade e assim, nunca o disse nem o direi. Apenas sei que esta é uma questão que vai além da esfera pessoal de cada um e dos interesses momentâneos das pessoas ou dos interesses politiqueiros dos agentes políticos.

Um abraço, mas repara que é sempre mais importante ajudar a reflectir sobre assuntos importantes que tentar impor uma visão nossa, que aliás estando certa para alguns, estará errada para outros, seguramente.

Nuno Guronsan disse...

Meu caro amigo, cada um com a sua opinião e o seu voto. E o que aqui tenho feito neste espaço refundido é mostrar a posição que defendo e não tentar impô-la a quem quer que seja. Até porque nesta questão, não me parece que vão haver opiniões a mudarem só por causa de meia dúzia de palavras...