domingo, novembro 19, 2006

Os meus doze aromas

O cheiro das ondas salgadas a chocarem contra as rochas.
O cheiro de uma torrada acabada de fazer.
O cheiro do perfume francês da minha avó.
O cheiro das uvas na adega do meu avô.
O cheiro dos eucaliptos nas matas ao pé do Guincho.
O cheiro da mercearia da D. Luisa.
O cheiro do incenso na missa do galo em Valdigem.
O cheiro do bacalhau à brás da minha mãe.
O cheiro da lenha a arder na lareira na casa dos meus avós paternos.
O cheiro de um Montecristo fumado em boa companhia.
O cheiro de uma garrafa de vinho do Porto acabada de abrir.
O cheiro dos cabelos dela...

Se ao menos o Blogger me permitisse colocar todos estes cheiros aqui, não tinha havido necessidade de os enumerar a todos de uma forma atabalhoada...

"He had the power in his hand. A power greater than the power of money, terror or death; the undisputable power of inspiring love in human beings."

8 comentários:

Polly Jean disse...

um bom tema...quem não guarda um bouquet de cheiros junto ao coração?

cristal disse...

o cheiro dos lençóis lavados
o cheiro da relva acabada de cortar

Sea disse...

Ahhhhhhhhhhhhhh! Os cheiros perseguem-me desde ontem. Fui ver o Perfume. Depois saí e enfiei-me nuam perfumaria, qual psicótica com nariz apurado :D

(eu gostava de preservar o cheiro do mar. A maresia :))

Nuno Guronsan disse...

Por acaso não nos cruzámos? É que ontem também foi dia de Perfume...

Ms D. disse...

Um dos cheiros que mais gosto é o da minha casa. Não há outro igual.
É uma mescla entre os cheiros daqueles que mais adoro no mundo inteiro e o conforto do meu ninho.

Quando estive desterrada a minha mãe costumava mandar-me roupa e livros, mal abria a caixa dos correios, sentia-me em casa por uns breves instantes. Houve momentos em que fiz um esforço para não chorar.

Confesso! Sou uma lamechas! :)

Sea disse...

:D:D não sei, mas que vi pessoal muito estranho, isso vi. Tudo de nariz no ar, narinas abertas...

By the way... crítica ao filme? Normalmente, sou daquelas pessoas que, quando já leu o livro, os filmes são uma decepção.
Li O Perfume, há uns 15 anos. Secalhar por ter esquecido alguns pormenores, achei que o filme não me desapontou assim tanto.

Nuno Guronsan disse...

Tenho que confessar que também já li o livro há uns anos, provavelmente há uns 13 anos atrás. Lembrava-me de quase tudo, tal foi o impacto que o livro teve em mim. Das cenas fulcrais havia uma que tinha escapado por entre os dedos do tempo, a cena da caverna. Mas o filme é tão bom e tão fiel ao livro, que assim que Grenouille verifica que não tem cheiro próprio, toda a cena como eu a imaginava me ocorreu imediatamente.

Acho que nunca tinha visto uma adaptação tão fiel ao livro, o que faz com que, na minha opinião, o filme seja muito, muito bom. Recomendo vivamente. Mais não seja para ficar hipnotizado pela magnífica fotografia de Frank Griebe...

A disse...

o cheiro de todas as minhas casas
o cheiro dos homens que amei
o cheiro da minha mãe
o cheiro do meu sobrinho
o cheiro do leite quente cheio de natas
o cheiro da terra molhada
o cheiro de cada um dos meus amigos
o cheiro do banho
o cheiro dos cozinhados do forno
o cheiro do mar
o cheiro das estevas
o cheiro das rosas
o cheiro da baunilha

...

todos os cheiros

...

o cheiro do amanhã.

Beijos