domingo, maio 21, 2006

Sábado

Ainda se sente a tua ausência. Quando entramos na casa, desviamos o olhar para onde te vimos pela última vez, na esperança de reavivarmos as memórias que temos de ti. Já passou quase um ano que não te temos junto de nós mas os olhos ainda ficam tristes quando não te vemos onde sempre te encontrámos. Falta-nos a tua alegria, o teu sorriso, a tua forma de ser que sempre nos fazia voltar. Sentimos que há uma parte de nós que foi contigo também, uma parte da nossa inocência e do nosso sentimento de mortalidade. Continuamos a nossa vida, como tu o desejarias, e continuamos a reunirmo-nos como o fazíamos contigo. Celebramos as nossas pequenas festas e aniversários e recordamos-te nos nossos risos e amor uns pelos outros. Tentamos esconder as nossas saudades por ti mas há sempre uma lágrima que nos denuncia e, ao mesmo tempo, te recorda. A dor não desaparece dos nossos corações mas quando nos juntamos, juntamo-nos para celebrar a tua vida e todos os momentos em que tocaste a nossa. Quero que saibas que, onde quer que a tua alma se encontre, nós nunca te esqueceremos nem ao amor que tinhas por nós. Temos saudades tuas. Sentimos a tua falta.

6 comentários:

LUA DE LOBOS disse...

uma lágrima caiu...
que gente maravilhosa que deu cor a essa vida que partiu mas não se extinguiu
xi
maria de são pedro

Alexandra disse...

Nuno,

os que partem nunca o fazem para sempre. Vivem em nós, até que a nossa memória queira...o que, normalmente é PARA SEMPRE!

Beijinhos

Nuno Guronsan disse...

Alexandra e Maria, obrigado pelas vossas palavras amigas e sim, é verdade, enquanto recordarmos os momentos bons que passámos com aqueles que já nos deixaram, eles ficam no nosso coração e nunca nos deixam.

Beijokas!

José Raposo disse...

Sempre que perdemos alguém é como se alguma parte de nós acabasse por morrer tb. Só mais tarde acabamos por perceber que se essas pessoas não existissem nas nossas vidas, elas teriam sido muito mais pobres.

M. disse...

E isso deve ser a única coisa que devemos querer da vida: deixar algo bom de nosso nos corações de quem amamos.

Nuno Guronsan disse...

Raposo, as tuas palavras ficam muito bem ao pé da minha confusão de palavras atabalhoadas sobre algo que agita o âmago da minha alma. Obrigado!

M., sem dúvida que a pessoa em causa deixou muitas e boas recordações comigo. E o amor que eu sei que ela me tinha e que teve por todos os que a acompanharam nos derradeiros instantes de vida, serviu para fazer de mim uma pessoa melhor. E continua a servir. Obrigado pelas tuas visitas sempre agradáveis. Beijo!