sexta-feira, março 31, 2006

Levantado do Chão

"A França é um palheiro de pouco resguardo para o pouco dormir e um prato de batatas, é uma terra onde misteriosamente não há domingos nem dias santos. A França, é um derreamento de rins, duas facas espetadas aqui e aqui, uma aflição de cruzes martirizadas, uma crucificação num bocado de chão."

7 comentários:

José Raposo disse...

A actualidade das coisas que se escrevem noutras alturas e noutros contextos tem sempre o hábito de ser intemporal.

Nuno Guronsan disse...

Sim, e o poder da coincidência de ter lido o livro nesta altura é enorme também. É óbvio que ao ler as palavras que aqui transcrevi, o meu pensamento fugiu imediatamente para a actualidade.

o anónimo do costume disse...

Portanto, andas a seguir as sugestões literárias do Miguelinho e a concorrer com o Suburbano na Saramagofilia...

Nuno Guronsan disse...

Por acaso foi o Miguelinho que me ofereceu o livro. Se calhar na tua óptica numa perspectiva de evangelização, mas não era preciso porque cá em casa já havia uns livros Saramagonianos...

José Raposo disse...

Mas que é isto? um gajo desvia a atenção por uns dias e é logo achincalhado como Saramagofilo??

José Raposo disse...

Na realidade eu até me sinto mais Lopo antuniano

Nuno Guronsan disse...

Eu hoje sou mais Simoniano Sabrosiano...