quinta-feira, março 30, 2006

Insónias

Os segundos passam...

Os minutos passam...

As horas passam...

 

Vejo os ponteiros avançarem, no seu ritmo constante, sinais luminosos no mostrador do relógio. Sinto as minhas pálpebras a descerem mas é apenas um desejo meu, o sono ainda vem longe. Todo o meu ser clama pelo descanso que apenas a inconsciência do sono pode dar, mas o cérebro teima em manter-se acordado.

 

Folheio as páginas do livro que se encontra há semanas em cima da mesa de cabeceira, com esperança que as palavras comecem a “fugir” aos meus olhos, até caírem em total escuridão. Já não seria a primeira vez que adormeceria com o livro aberto em cima do meu peito, à espera que alguém o levante e o volte a pôr no seu lugar do costume. Mas hoje não. Esta noite o desfecho mais provável é chegar à última página do livro e nem assim o sono decidir-se a envolver-me no seu manto reconfortante.

 

Ligo a televisão. A luz fere os meus olhos e sinto as pupilas contraírem-se com a indesejada luminosidade. No ecrã nada de interessante se desenrola, não há programa algum que me faça correr o risco de ficar ainda mais acordado. E mesmo assim... Mesmo assim fico com o olhar preso à pequena caixinha mágica, enquanto espero um passe de mágica do amigo João Pestana, mas este não parece querer gastar comigo os seus pozinhos de perlimpimpim.

 

Lá fora, o Sol parece estar a aparecer. Caprichos da mudança de hora... Os primeiros raios de claridade começam a entrar pelas frestas na persiana do quarto. Sinto-me ainda mais cansado do que quando me deitei, mas mesmo assim não consigo adormecer. Como vou eu conseguir enfrentar o dia que se avizinha a passos largos? E porque é que o despertador ainda não tocou, para me arrancar com violência do meu suposto sono?

 

Só nessa altura me lembro que hoje estou de folga. Não vou trabalhar. E no momento em que compreendo a fatal partida de que fui alvo, verifico que fechei os olhos e começo a deslizar para um outro mundo, e enquanto vou adormecendo uma réstia de sorriso vai desaparecendo da minha face...

 

5 comentários:

M. disse...

:D :D :D

o anónimo do costume disse...

Já experimentaste "contar carneirinhos"?!

Nuno Guronsan disse...

Tenho a impressão que uma cura boa para as insónias seria a companhia da moça do post anterior ;))) Ou pelo menos haveria algo com que preencher as noites sem sono ;)))

nunf disse...

lol
Isto por aqui, está cheio de provocações!!
Qualquer dia o espaço deixa de ser cinzento?!
:)

Nuno Guronsan disse...

Nunca se sabe o que o futuro pode trazer.. "O sonho comanda a vida".