segunda-feira, julho 02, 2007

Perturbador

Primeiro é o choque. O choque de vermos que alguém filmou durante muito tempo a ponte com o objectivo de captar aquilo que pretende. E o facto é que acontece muitas vezes e somos mesmo confrontados com as imagens de várias pessoas que passam para lá do corrimão e saltam mesmo da Golden Gate, em São Francisco. E quase se pode dizer que esse é o choque mais "superficial". Na minha opinião, os verdadeiros choques, ou socos no estômago, vão acontecendo durante o filme, quando nos é exposto, por familiares e amigos, o caminho que (provavelmente) levou diversas pessoas diferentes entre si a cometerem o suicídio na ponte. Donde vieram estas pessoas, como foi o seu percurso de vida, se eram saudáveis ou mentalmente doentes, se foram apoiadas ou não, se simplesmente sentiram que já não faziam parte deste mundo ou não, quase tudo isto é deixado ao critério do nosso olhar e da nossa mente. E mesmo que, a espaços, se consiga ter momentos de verdadeira celebração da vida, é a angústia e o desespero que predomina ao longo do filme, mesmo numa história de um sobrevivente. Perturbador e intenso, e ainda não consigo tirar da minha cabeça as últimas imagens de Gene.

3 comentários:

O Profano disse...

Receio que isto crie uma nova moda...

alexia disse...

O post é perturbador e inquietante, imagino o filme:)

João Dias disse...

Eu também vi o filme e é de facto um grande filme. Obviamente que podemos questionar o método, a postura abutre de esperar pela morte, mas convém também salientar a riqueza do filme no que diz respeito a depoimentos de familiares e pessoas próximas das vítimas. O essencial é até a questão da morte, porque apesar de morte ser banalizada na televisão é tema tabu ao mesmo tempo, ou seja a morte é banalizada em números e factos e não é abordada como sendo uma das questões mais prementes da existência humana.
Neste caso a morte é contextualizada na realidade do suicídio, digamos que um "agravante", porque se a sociedade encara mal a morte, o suicídio então...

P.S. Efectivamente a cena final do suicídio do Gene é avassaladora.