terça-feira, fevereiro 10, 2009

Rafeiro

Percebe-se porque é que o filme tem dividido a crítica cinematográfica e, até mesmo, o público em geral. Percebe-se porque é que há muita gente na India que não gostou da forma como o país é retratado no filme. Percebe-se porque é que o filme se arrisca a ganhar todas as nomeações que arrecadou para os Óscares. Até se percebe que o filme não poderia ter outro tipo de final que não fosse aquele mesmo. Tudo isto se percebe. Ou, como se diz várias vezes durante o filme, tudo estava destinado a ser assim.

O que não se consegue explicar muito bem, e aqui estou a falar unica e exclusivamente da minha responsabilidade, é o sorriso que trazemos connosco da sala de cinema e as ondas positivas que ficam dentro de nós, tão importante nestes tempos tão amargos que percorremos. Arrisco-me a dizer, e será o melhor elogio que consigo fazer, que se continuar a fazer filmes deste calibre, Danny Boyle arrisca-se a ser tão simplesmente o Frank Capra dos nossos tempos.

(E já agora, o Jorge Gabriel é um menino e tem de começar a ver televisão indiana a potes.)

3 comentários:

Patricia disse...

De todos os "hits" que andam ai nas salas de cinema este é sem dúvida o que mais quero ver.

(se bem que pela velocidade a que a lista cresce, vou ter que tirar um dia inteiro para me enfiar numa sala de cinema e ver filmes de manhã à noite)

***

Nuno Guronsan disse...

Eu ultimamente parece que estou numa overdose cinematográfica. Nas últimas duas, três semanas devo ter visto quase uma dezena de filmes. Porque é que os bons têm que estrear sempre na mesma altura???

Este é um raio de esperança que sabe bem ver. Recomendo.

***

A disse...

Andava justamente à procura deste teu post para te dizer que ontem fui ver o filme e.... e olha, fiquei de uma forma que nem te sei dizer... lol


Vou dissertar sobre o tema para ver se chego a alguma conclusão :)


Em parte fui ver este filme não devido ao óscar mas pela tal divisão de opiniões do público... e porque me lembrava que tinhas gostado...