quarta-feira, outubro 17, 2012

Entretanto nas ilhas...

Um dia, quando fores grande, a tua mãe vai mostrar-te o mundo. Ou melhor, vai mostrar-te todos os mundos que fizeram parte da vida dela. Vai levar-te de norte a sul deste país à beira-mar plantado. Vai levar-te a todos os pedaços de terra flutuante que também fazem parte desse país. E depois vai contar-te sobre os dias em que decidiste largar o conforto da barriga dela e vieste espreitar este estranho mundo cá fora. Vai contar-te que nasceste numa altura em que este país estava, literalmente, de pernas para o ar. Que por todo o lado a dificuldade era mais que muita, que as pessoas andavam tristes e desanimadas, que todos tinham de contar os cêntimos na carteira muito bem contados. E tu vais perguntar-lhe, "mas Mãe, hoje vivemos todos bem, em harmonia, com cada vez menos pobreza, com pessoas sorridentes nas ruas, com o país a prosperar como nunca prosperou. Como é possível que o que me contas tenha, de facto, acontecido?". A tua Mãe vai sorrir, compreendendo as tuas dúvidas. E explicar-te que, felizmente, tu cresceste num país que foi mudando, sempre para melhor, e que todas as nuvens negras se foram dissipando enquanto passavas da roupa de criança para a de adolescente. E vai mostrar-te fotografias, recortes de jornais, endereços de internet que permaneceram no ar, e lentamente vais começar a compreender que o teu mundo, aquele que já é teu, é muito melhor e mais solidário. E vais ficar aliviada e vais abraçar longamente a tua Mãe, como que a reconfortá-la pelos tempos difíceis que ela passou. E ela, apercebendo-se disso, vai contar-te que também teve momentos felizes. E que, mesmo não sendo tudo rosas, também não foi tudo espinhos. E depois vai contar-te a história mais bonita do mundo e os teus olhos vão brilhar enquanto ela te conta como o conheceu o amor da vida dela, o teu Pai. E, quem sabe, até pode acontecer que a tua Mãe te mostre estas palavras que agora escrevo. E pode ser que tu também sorrias ao ler o que aqui te deixo. Para ti desejo apenas uma coisa. Que tenhas muitos momentos de felicidade, de amor verdadeiro, e sobretudo uma longa vida ao lado dos teus pais. Beijos. Grandes.

Para uma Mãe a quem muito me orgulho de chamar Amiga.
Tu sabes quem és.




7 comentários:

Cate disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cate disse...

Tão bonito. Espero sinceramente que se concretize, para bem dela e de nós todos.

Um beijo, Catarina.

Nuno Guronsan disse...

A esperança ainda não paga imposto, Catarina, e os sonhos ainda comandam as almas. Ou assim o espero.

Obrigado eu. Beijos grandes.

Girl Afraid disse...

És tramado, tu :') tanto que fazes Nuno, no lugar dos vazios que outros foram deixando, pois és dos poucos que fica feliz com a felicidade daqueles de quem gostas. E tu sabes mesmo como gostar de alguém.

Tão tão lindo meu amigo.

É linda a mensagem de esperança, e tenho medo que tal não se concretize, pois todos os dias nos chegam palavras de ódio, de revolta, de infelicidade, de tristeza, da miséria que aos poucos se instalou no nosso país.
Uma coisa é certa: dê lá por onde der, o futuro é nosso e dos nossos filhos, mas também dos filhos e netos do que semeiam a pobreza e a discórdia. Acredito é que os lutadores, por sempre terem sido sobreviventes, hão-de chegar mais longe.

Esta menina com certeza há-de chegar mais longe, espero dar-lhe as asas para ela poder voar.

Beijo do tamanho do Mundo e das asas para o poder sobrevoar :)

Nuno Guronsan disse...

Tenho de te confessar que já andava com a ideia na cabeça há algum tempo, provavelmente desde que vi a primeira foto da tua barriga, mas ainda não tinha tido tempo para me sentar e pensar como deve de ser. E depois juntou-se à ideia de alegria pela menina que aí vem e pela alegria dos pais e pela alegria de ver uma pessoa amiga feliz, juntou-se a ideia de que ela vai encontrar melhores tempo que aqueles que nos assombram hoje em dia. Haver uma migalha de esperança e optimismo que ela vai encontrar um país em melhor estado, a todos os níveis.

Espero não me ter afastado muito da verdadeira intenção: celebrar a vida e as amizades que existem e que se mantêm sempre nas nossas almas, mesmo quando os corpos não se encontram. :))

Beijos grandes, minha querida.

A.na disse...

http://www.youtube.com/watch?v=3KtsVDbQyHY

Continuemos a construir de esperança todos os dias o nosso próprio Bairro do Amor e a pintá-lo a lápis de cor :)

... porque todas as histórias de amor TÊM de acabar bem.

(e no mês que vem, este senhor vem cá "fazer-me uma visita" e a Maria está cheia de sorte por já ir a concertos destes, nem que seja na barriga da mãe)

Nuno Guronsan disse...

Haja boas músicas para a Maria ouvir enquanto está na tua barriga.

Sem dúvida que vai ter boas influências musicais! :)))

Beijos.